A avaliação bucal detalhada antes de iniciar o uso dos AR é muito importante
   A avaliação bucal detalhada antes de iniciar o uso dos AR é muito importante

Os antirreabsortivos (AR) são medicações freqüentemente utilizadas em pacientes com metástase óssea, osteoporose e em algumas outras doenças ósseas.

Os mais conhecidos são os Bisfosfonatos (como o Alendronato, ácido zoledrônico e pamidronato) e, mais recentemente, Denosumab, Sorafenid, Sirolimus, dentre outros.  

Eles atuam na fisiologia dos ossos e seu uso visa à redução da incidência de fraturas nos pacientes. A via de administração dos AR pode ser endovenosa ou oral, e a periodicidade da administração varia de acordo com a doença de base e estadiamento da doença.

Efeitos adversos como desordens gastrointestinais, dores abdominais, esofagite, úlceras esofágicas, sintomas de flue-like, dores ósseas são relatados na literatura, mas muito ainda temos que aprender sobre seus efeitos colaterais.

Desde 2003 um efeito colateral oral foi observado e comprovada sua relação com essas medicações: a necrose dos ossos da mandíbula e maxila (MRNOJ). A manifestação da MRNOJ é mais frequente nos pacientes oncológicos (aproximadamente 7 %) do que nos pacientes osteoporóticos (aproximadamente 1%), mas é uma complicação importante uma vez que impacta diretamente na qualidade de  vida do paciente.

O aspecto das lesões é de necrose óssea geralmente associada a dor intensa, dificuldade de fala, alimentação e de realizar higiene. O quadro clínico pode simular dor de dente ou pontos traumatizados por prótese. A exposição do osso necrótico, pode ocorrer após procedimentos odontológicos como exodontias ou espontaneamente. Os ossos maxilares são os únicos acometidos por essa necrose óssea.

O Tratamento é moroso e desconfortável para o paciente e envolve muitas vezes abordagem cirúrgica da área acometida. A Sociedade Americana de Cirurgiões Dentistas (AAOMS) periodicamente faz atualizações sobre os cuidados que devemos ter para tratar os pacientes que fazem uso dos AR. O ponto sempre ressaltado por eles é a importância da prevenção da MRONJ uma vez que na maioria dos casos ela se manifesta após um procedimento dentário.

A terapia com os AR para essas alterações ósseas sistêmicas é considerada padrão e seu benefício é superior aos possíveis efeitos colaterais, no entanto  é fundamental que os profissionais da área da saúde que lidem com pacientes que irão iniciar o uso de AR ou com os que já fazem uso, alertem os pacientes para os riscos de seu desenvolvimento. E que os pacientes procurem profissionais dentistas que saibam tratar pacientes em uso dessas medicações. E a avaliação bucal detalhada antes de iniciar o uso dos AR, sempre que possível, é muito importante .