Pigmentação de aréola após reconstrução da mama
   Pigmentação de aréola após reconstrução da mama

Esta é uma pergunta muito pertinente e recorrente dúvida entre todas as pacientes mastectomizadas. O procedimento de pigmentação das aréolas e mamilos é extremamente importante para a etapa de finalização da reconstrução da mama, onde através do implante dérmico de pigmentos, será realizada uma espécie de tatuagem que imitará de forma realista, um novo CAM (complexo aréolo-mamilar).   Trata-se de um procedimento que deverá sempre ser realizado por um especialista em dermo-pigmentação paramédica, respeitando-se todos os parâmetros de biossegurança (assepsia) indispensáveis para o trabalho a ser realizado.  Durante a sessão utiliza-se um aparelho específico para pigmentação, muito semelhante ao equipamento para tatuagem, porém com algumas características bastante diferenciadas, pois se respeitam os fatores anatômicos e fisiológicos pertinentes ao procedimento cirúrgico da região a ser trabalhada. Será aplicada uma fina camada de anestésico, pois durante o procedimento serão utilizadas agulhas especiais para introduzir os pigmentos na pele, não havendo dor, apenas um leve desconforto por atrito. Após a realização da pigmentação, é aplicado um laser de baixa potência, totalmente indolor, que pode acelerar em 50% o tempo de recuperação e a melhor fixação do pigmento introduzido.  Além disso, deve-se apenas aplicar um produto tópico específico que auxiliará na recuperação do tecido com maior rapidez.

O prazo para realização da pigmentação deve ser respeitado de acordo com a técnica cirúrgica utilizada pelo cirurgião plástico que fez a reconstrução, porém tal prazo pode variar entre 4 a 12 meses após a cirurgia, valendo sempre a orientação que a paciente faça um retorno ao seu cirurgião e confirme que está apta a realizar tal procedimento naquele momento.

A dermopigmentação paramédica é uma especialidade dentro do ramo da tatuagem, onde se encontram profissionais que realizam micro-pigmentação (implante superficial de pigmentos), dermopigmentação (implante intermediário de pigmentos) e a tatuagem propriamente dita, que deposita pigmentos numa camada mais profunda que as anteriores citadas.  Sugere-se a dermo-pigmentação para os casos de reconstrução mamária pois a durabilidade da pigmentação será superior à da micro-pigmentação, tornando-se desnecessária a constante revisão da coloração obtida no primeiro procedimento.  É importante lembrar que tal procedimento finaliza uma etapa bastante traumática para as mulheres e que voltar a repigmentar as aréolas pouco tempo após o trabalho inicial realizado, torna-se uma memória um pouco desagradável.  Visando isso, a inserção dos pigmentos de maneira um pouco mais profunda, garante uma maior durabilidade, conforto maior e também manutenção do bem-estar físico e emocional da paciente.


alo@posop.com.br